Editorial

De coração cheio

Foram longos meses de estudo, planeamento, ideias e sonhos. Dias de avanços e recuos,  retrocessos e evoluções. Foram muitas horas em que cada minuto valeu a pena porque nos permitiu chegar até aqui. Esta é a primeira de muitas edições da revista Minha, pelo menos assim o desejamos. Haveria muita coisa a dizer e uma página não chegaria, mas hoje quero apenas cingir-me ao que considero mais importante. Há paixão nestas páginas! Há amor, há honestidade, há transparência, há vontade de fazer mais e melhor a cada edição. Queremos trabalhar consigo e para si, queremos mostrar o melhor do Minho (e não só!), queremos que tenha prazer em ler-nos. 

Gosta de um bom concerto, de uma boa exposição,  de um bom filme? Descubra por nós onde pode vê-los. E conheça também a nossa opinião sincera, os locais que recomendamos e aprovamos. Fique a par dos melhores restaurantes e melhores hotéis, sítios onde pode viver experiências de sonho. Sonhe connosco,  aventure-se, experimente. E depois diga-nos a sua opinião. 

Esta edição não podia deixar o Natal passar em branco. Por isso mesmo temos sugestões de prendas para a época, eventos, um roteiro para fazer com crianças. E muito mais! Mas vamos deixá–lo já de sobreaviso: a Minha também tem (e terá sempre!) espaço para o inesperado. E por isso mesmo também falamos de teatro, de sopa de cogumelos ou Florbela Espanca. Nada como conhecer-nos!

A mim coube-me a parte mais fácil, dirigir esta revista. A parte mais difícil coube a quem hoje agradeço com o coração a transbordar de alegria: obrigada a todos os que acreditaram, aos que lutaram (obrigada, equipa!), aos que aqui deixam a sua marca a cada edição, aos leitores que nos acompanham. Porque a revista é “Minha”, mas é sobretudo sua!

1 Comentário

Deixe um comentário