Ler

Livros amorosos

A Arte de Amar

Escrito em 1956 pelo psicanalista, filósofo e sociólogo alemão Erich Fromm, “A Arte de Amar” mostra como o amor precisa de ser trabalhado, exigindo para isso muita humildade, concentração, paciência, humildade coragem e fé. Erich aborda não só o amor romântico, mas também o fraternal, o amor próprio e o de Deus. “O amor é a única resposta sadia e satisfatória para o problema da existência humana”, sublinha o autor.

Páginas: 166

 

O meu irmão

A morte dos pais traz novo problema: com quem fica Miguel, o filho de 40 anos que nasceu com síndrome de Down? É aí que o irmão, um professor universitário um tanto ou quanto austero e apenas um ano mais velho do que Miguel, surpreende e decide ficar a cargo desta grande responsabilidade. A história comovente de dois irmãos que têm de reaprender a viver em conjunto e que nos mostra que o amor é capaz de vencer todos os obstáculos.

Páginas: 368

 

O maior bem que podemos fazer

O altruísmo eficaz baseia-se na ideia de que devemos fazer o maior bem que pudermos. Ou seja, não basta obedecer às regras normais: não roubar, não enganar, não magoar ou não matar não são suficientes! O movimento em que Peter Singer se insere diz-nos que devemos utilizar uma parte dos nossos recursos para fazer do mundo um lugar melhor, vivendo uma vida totalmente ética e fazendo o maior bem possível. Aceita este desafio? 

Páginas: 246

 

A mulher do viajante no tempo

Quando dizemos que o amor vence tudo estamos a considerar a voragem do tempo? Com um enredo intrigante, pautado pelo suspense, Audrey Niffenegger conta-nos a história de Henry e Clare, um casal que vive aprisionado numa armadilha de Cronos. Se Henry consegue viajar no tempo a seu bel-prazer, Clare tem sempre de ficar para trás, aguardando ansiosamente o regresso do marido. O amor sobrevive à tirania dos ponteiros?

Páginas: 582

Deixe um comentário