Puericultura Sem categoria

Amamentação: os obstáculos para que não nos preparam

A Organização Mundial de Saúde recomenda amamentação exclusiva durante os primeiros seis meses de vida, bem como amamentação prolongada até aos dois anos de idade ou mais. O bebé nasce e a grande maioria das mães sonha com aquele momento especial que é a amamentação. Nas fotografias que tantas vezes circulam à nossa volta, tudo parece fácil e idílico. Chega o momento e o bebé não parece querer mamar. Ou chora. Ou há muita dor à mistura. Numa segunda fase, parece não aumentar de peso. “Será que o meu leite é fraco?”, pergunta a mãe. Estas são situações comuns na maternidade, não está sozinha. Como superá-las?

Dor

Uma pega errada, a subida do leite, fissuras, a mordidela de um bebé. Tudo motivos para grandes dores numa zona que, já habitualmente sensível, agora ainda está mais. Procure informação sobre o aleitamento materno antes do parto: há literatura e profissionais especializados nesta área que podem ajudá-la com todos obstáculos que, embora pareçam irreversíveis, na maioria das vezes não o são. E sim, com o tempo fica mais fácil!

Leite fraco?

Não existe leite fraco. Provavelmente vai ouvir opiniões em contrário: que o seu bebé chora porque tem pouco leite ou o seu leite é fraco… Não é verdade. O que provavelmente estará a acontecer é o bebé não pegar adequadamente na mama, até porque a produção de leite vai-se adaptando às necessidades do bebé, como acontece naturalmente quando a mãe regressa ao trabalho.  Quanto mais o bebé mama, mais leite é produzido. Já ouviu falar em livre demanda? Nesta altura é importante sentir que o pediatra que escolheu está em sintonia com as suas decisões. 

Críticas

“O bebé mama demasiadas vezes, por isso o leite é fraco”. “Com essa idade já não devia mamar”. “O leite em pó é mais prático e é a mesma coisa”. “Não te devias expor assim”. Mentalize-se de uma coisa: não vão faltar treinadores de bancada! Quanto mais depressa se mentalizar disto, mais facilidade terá em filtrar apenas aquilo que realmente vale a pena. O processo de amamentação diz apenas respeito à mãe e ao filho. Se ambos estiverem confortáveis, está tudo bem!

E se eu não conseguir?

Por variadíssimas razões – até por escolha, e não há mal nenhum nisso – pode não conseguir dar de mamar ao seu bebé. Felizmente existe o leite em pó, que não deve ser visto como um bicho papão. Mais uma vez: se ambos estiverem confortáveis, está tudo bem! Nenhuma mãe é melhor que outra por ter amamentado, nem nenhum vínculo se perde por não o ter feito. Livre-se de culpas: está a fazer o melhor que pode e consegue! Mamãs felizes, bebés felizes!

Nós recomendamos

Se está a atravessar dificuldades com a amamentação, contacte a Braga Materna. Pode frequentar uma sessão de aconselhamento na amamentação ou pedir até uma consulta que pode, inclusivamente, ser no seu domicílio. A Ana Luísa Bárbara é uma conselheira especializada e já ajudou muitas mães a ultrapassar os mais diversos obstáculos!

Deixe um comentário