Opinião

7 Dicas para poupar quando a família está prestes a aumentar

Quando a família está prestes a aumentar é sempre importante festejar, mas também fazer contas às despesas que vão, com certeza, crescer! É sempre uma alegria a chegada de um novo membro à
família, mas também temos que estar preparados financeiramente para o/a receber.

Com a família a aumentar, vamos passar a ter mais custos porque são cuidados adicionais que são necessários, alguns bens materiais e, claro, tudo deve ser pensado ao pormenor principalmente no que diz respeito às crianças, porque sem dúvida que vai influenciar o orçamento no final do mês.

Para isso deixo aqui algumas dicas que podem ajudar a poupar dinheiro:

1) Os amigos e família são uma excelente ajuda no que toca a pedir emprestado. Pedir emprestado? Sim, claro! Porque não? É muito bem-vinda a ajuda das pessoas que gostam de nós. Se, por exemplo, tiverem amigos que já tenham crianças, então pode ser uma forma de poupar dinheiro, nomeadamente quando falamos de objetos tão importantes como uma banheira, uma alcofa, um berço, entre outras coisas que , quando compradas, acrescentam à lista de custos que podemos minimizar. É também uma maneira de as pessoas que já não precisam delas lhes darem a melhor utilização, que é emprestar.

2) Compre apenas o que é prioritário numa primeira fase, aquilo que vai precisar mesmo, para os primeiros três meses do bebé, para não estar a gastar dinheiro desnecessariamente que lhe pode vir fazer falta mais tarde. 

3) Está na moda comprar em segunda mão! E porque não a roupa de bebé? Sim! Existem algumas lojas no mercado que vendem roupa e brinquedos em segunda mão, que sempre que cumpram as normas de segurança e qualidade podem sem dúvida ser uma boa opção para economizar em algumas compras para o bebé, até porque  os bebés crescem muito rápido e a roupa deixa de servir de um dia para o outro.

4) Quanto à decoração do quarto, também pode economizar se, em vez de comprar um fraldário, aproveitar a cómoda que tem em casa e, por exemplo, comprar no IKEA, a um preço interessante, um colchão que se enche e esvazia. Ainda pode comprar a capa com desenhos de bebé, que não ocupa espaço e vale muito a pena.

5) Aproveitar as mochilas que temos em casa e não comprar uma especificamente para o bebé, até porque são caras e depois acabam por deixar de se utilizar. Muitas vezes vamos estar a gastar dinheiro num artigo que não dura muito tempo e é um saco que só tem essa finalidade, enquanto que a mochila que já tem pode dar no futuro para outras situações.

6) Gerir bem os gastos com brinquedos. Os brinquedos e peluches são uma tentação evidente, mas é uma tentação a que é importante resistir, principalmente se somos nós a gerir o dinheiro. Nos primeiros meses de vida do bebé ele quer é a presença da mãe e do pai, não vai ligar muito a determinado tipo de brinquedos. Se comprar , faça-o em pequena quantidade e de boa qualidade, até por questões de segurança. Caso sejam dados por amigos ou familiares, claro que sim, ajudam no orçamento e a carteira agradece!

7) Preparar tudo com antecedência. A antecedência também pode ser a inimiga em certas alturas, ou seja, não convém comprar muita coisa para o bebé com muita antecedência, as crianças crescem rápido e deixa de fazer sentido: ou porque nunca chegou a vestir, ou porque é um brinquedo a que dão muito pouca atenção, etc..

Logo, é muito importante fazer o trabalho de casa com tempo e paciência, para que tudo corra financeiramente dentro do orçamento e para que não haja desvios.

Antes de comprar, compare preços, o que também ajuda na tomada de decisões. Vai ver que tudo fica bem quando também temos a vida financeiramente organizada para receber uma criança e lhe dar tudo o que ela precisa, com a maior atenção e amor.

Acompanhe todas as novidades em: 

Instagram: http://www.instagram.com/carina.meireles.consultora/
Facebook: https://www.facebook.com/carinameirelesconsultorafinanceira/
Linkedin: https://www.linkedin.com/company/cm-consultoria-financeira

 

Deixar comentário