Destaque Roteiro

Roteiro Braga. Sinta-se em casa!

«Braga é fantástico. Às vezes, fica-se com a impressão que é Braga que deveria mandar neste país…A primeira vez que fui a Braga já estava à espera de encontrar uma cidade grande e diferente de todas as outras. Mas fiquei siderado. Acho que Braga se dá a conhecer a quem lá entra, sem receios ou desejos de impressionar. A primeira impressão foi a modernidade de Braga – pareceu-me Portugal, mas no futuro. E num futuro feliz… O problema da ansiedade não existe. Braga tem tudo. Passa bem sem nós. Mas nós é que não passamos sem ela. É por ser de Braga. É uma coisa que, infelizmente, nem todos nós podemos ser. Fique então apenas a gentileza de ficar aqui dito de ter pena de não ser». É assim que Miguel Esteves Cardoso, consagrado escritor português descreve Braga, com toda a circunstância e certeza. Palavras sentidas que deixam qualquer bracarense feliz e orgulhoso. Tal como se estão a sentir agora, com este prémio de Melhor Destino Europeu 2021, promovido pela European Best Destinations. Justo, diga-se… Porque Braga merece! Por tudo aquilo que é e tem para oferecer. Nas próximas páginas, mostramos-lhe muitas das razões que fazem de Braga uma cidade especial. Fatores de atração para milhares de visitantes e turistas. Verdadeiros motores de orgulho para as suas gentes. Um roteiro com locais fascinantes. Cantos e recantos para descobrir e explorar…

Arco da Porta Nova Começamos com a porta de entrada na cidade, o Arco da Porta Nova. Aberto em 1512, no tempo de Arcebispo D. Diogo de Sousa, é um dos pontos mais visitados da cidade. A atual construção data de 1772 e foi projetada por André Soares, sendo mandada edificar pelo arcebispo D. Gaspar de Bragança.

Sé Catedral Um dos locais com visita obrigatória é a Sé Catedral, considerada como um centro de irradiação episcopal e um dos mais importantes templos do românico português. As coleções do Tesouro-Museu da Sé de Braga testemunham, no seu conjunto, «mais de XV séculos da história da Arte e da vida da Igreja em Braga».

Bom Jesus do Monte Outro local que merece honras especiais de uma visita é o Bom Jesus do Monte, um local de grande beleza e envolvência espiritual. Aqui «entra-se num espaço místico, com as escadarias envolvidas por árvores centenárias que conduzem o caminhante a capelas que exprimem a paixão de Cristo. Deste ponto avista-se a cidade de Braga e a paisagem envolvente. Destacam-se, igualmente, as escadarias, o elevador, de construção oitocentista e movido segundo o sistema de contrapeso da água, os lagos ou a imponente basílica. O Bom Jesus, referência incontornável da arte Barroca em Portugal e Património Mundial da Humanidade é, sem dúvida, um verdadeiro espetáculo visual, para apreciar, sem pressas.

Sameiro A visitar também e, obrigatoriamente, o Santuário do Sameiro. É, para muitos, o centro de maior devoção mariana em Portugal, depois de Fátima. No Templo, destaca-se no seu interior o altar-mor em granito branco polido, bem como o sacrário de prata. Em frente ao Templo realce para o imponente e vasto escadório, no topo do qual se levantam dois altos pilares, encimados da Virgem e do Coração de Jesus.

Largo do Paço Quem se desloca a Braga deve ainda ir ao Largo do Paço. Situa-se no centro histórico de Braga, na rua do Souto, sendo constituído por quatro edifícios, onde, atualmente, se situa o Salão Nobre da Universidade do Minho, a Biblioteca Pública de Braga e o Arquivo Municipal. Destaque para o bonito Chafariz dos Castelos, no centro do largo, construído em 1723, que acolhe uma imagem feminina que simboliza a cidade.

Museu dos Biscainhos O Palácio dos Biscainhos deve também ser apreciado. Construído no século XVII, este palácio aristocrático exibe terraços com jardins ornamentados e grandes salões com tetos luxuosos. Abriga o Museu Etnográfico e Artístico, com peças de mobiliário português e estrangeiro. No Palácio está instalado o Museu dos Biscainhos, aberto ao público a 11 de fevereiro de 1978 e que alberga várias coleções, desde artes decorativas, cerâmica, ourivesaria, pintura, escultura, etnografia, entre outras.

Palácio do Raio Na cidade, destaca-se ainda o Palácio do Raio. É um dos mais notáveis edifícios de arquitetura civil da cidade de Braga, em estilo barroco joanino. Foi restaurado em 2015 e é agora um Centro Interpretativo com um espólio da Santa Casa da Misericórdia de Braga. Está classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1956.

Museu do Traje Dr. Gonçalo Sampaio É um espaço cultural dedicado à etnografia do Baixo Minho, no qual é possível visitar em exposição permanente os trajes característicos do sex. XIX do distrito de Braga. Também instrumentos marcadamente tradicionais da cultura minhota, como concertina, Cavaquinho, Viola braguesa, Clarinete, Bombo ou Ferrinhos, se encontram aqui em exposição.

Fonte do Ídolo Foi edificado, nos inícios do século I, um santuário rupestre que é, atualmente, conhecido como Fonte do Ídolo, associado ao culto da água. A singularidade desta fonte, em granito, conferiu-lhe em 1910 a classificação como Monumento Nacional e, mais recentemente, entre 2001 e 2004, foi alvo de importantes obras de musealização, construindo-se uma estrutura que protege o monumento e permite ao público a sua visita em excelentes condições. Realizam-se visitas guiadas.

Jardim de Santa Bárbara O Jardim de Santa Bárbara é também de paragem obrigatória. Um autêntico refúgio no centro da cidade com um deslumbrante “tapete” de flores naturais. No centro do jardim há uma fonte encimada pela estátua de Santa Bárbara e, ao fundo, encontra-se a Ala Medieval do Paço Episcopal de Braga.

Museu Nogueira da Silva Enquanto visita a cidade, vá também ao Museu Nogueira da Silva, situado na Avenida Central. É um espaço destinado para a realização de atividades culturais, nomeadamente exposições temporárias e temáticas.

Museu Pio XII No roteiro, insira também uma “viagem” ao Museu Pio XII. Este espaço dispõe de um vasto espólio nas áreas da lítica, numismática, cerâmica, têxtil, escultura, pintura, arqueologia e ourivesaria. Os visitantes poderão conhecer parte significativa da obra de Henrique Medina, um dos grandes artistas retratistas do séc. XX.

Praça da República “Arcada”/Avenida Central A Praça da República é, muito provavelmente, a zona da cidade mais visitada, o verdadeiro centro de Braga. É um dos principais pontos de convergência da cidade, uma espécie de “plaza mayor”, mas sem palácio municipal. Segundo o historiador bracarense Eduardo Pires de Oliveira, a Praça da República – mais conhecida por Arcada – terá sido aberta em finais da Idade Média. O nome Arcada deve-se aos alpendres ali existentes, mandados construir por D. Rodrigo de Moura Teles, em 1715, no mesmo lugar dos que existiam no tempo de D. Diogo de Sousa. O largo foi transformado em jardim público em meados do século XIX e a mais recente intervenção no espaço da praça decorreu entre 1994 e 1995, quando lhe foi retirado o trânsito e implantada uma fonte luminosa. Nesta praça funcionam dois dos mais emblemáticos e centenários cafés (Vianna e Astória) e, no centro da Arcada, destaca-se a igreja da Lapa. Na Avenida Central destacam-se ainda os edifícios do Banco de Portugal, do posto de Turismo e da Universidade do Minho (com a galeria de arte), a Igreja dos Congregados, o coreto, o edifício do Inatel, a Casa das Convertidas, o edifício da sede da Casa do Professor e o edifício onde esteve instalado o jornal Diário do Minho. No centro do jardim, encontra-se um monumento em homenagem ao Papa (em forma de pirâmide). Nesta artéria desenvolve-se um extenso e colorido jardim, composto por vários canteiros floridos e uma fonte (chafariz), além das esplanadas e locais de lazer.

Avenida da Liberdade É uma das principais artérias da cidade e também uma das maiores, ligando a Praça da República ao Largo S. João da Ponte. É uma das vias da cidade de maior movimento, quer automóvel, quer de peões, fazendo a ligação entre o centro histórico e a zona sul. Nos seus prédios estão concentrados os mais variados ramos do comércio e serviços. Entre os edifícios mais emblemáticos desta artéria, destacam-se o do Theatro Circo, o dos antigos CTT – Correios de Portugal (atualmente uma superfície comercial) e o do Posto do Turismo.  Os jardins no topo Norte dão-lhe um colorido distinto, com bancos para descanso, uma superfície ampla para passear e confraternizar, e lojas para visitar. A parte sul, é rodoviária e liga ao Parque da Ponte, um dos espaços verdes mais bonitos da cidade. Por esta artéria já circularam elétricos (até ao fim da década de 60) e tróleis (até ao fim da década de 70). Tem como pano de fundo o bonito e imponente monte do Picoto.

Theatro Circo É uma referência para a cultura de Braga e a maior sala de espetáculos da cidade. Com mais de 100 anos história, que teve início em 1915, por ali já passaram grandes artistas de renome nacional e internacional. Alvo de uma requalificação, terminada em outubro de 2006, o Theatro Circo é um grande complexo cultural, capacitado com a mais atual e completa tecnologia cénica e sonora, capaz de responder às necessidades da arte contemporânea nas suas mais variadas dimensões. A sua imponência invulgar e de beleza arquitetónica é difícil de suplantar por qualquer outra sala, portuguesa ou europeia.

Torre de Menagem A Torre de Menagem é Monumento Nacional, desde 1910, e é quase só o que resta do antigo castelo da cidade. Localizada no ponto mais alto do burgo medieval, possui um brasão de D. Fernando sobre a porta. O castelo é já referido em documentos dos inícios do século XIV, embora a construção tenha sido ordenada após as invasões de 1369. Demolido em 1906, terá tido seis torres das quais ainda subsistem vestígios. Apesar de só a Torre de Menagem ser visível, subsistem inúmeros troços do antigo castelo que foram reaproveitados pelas edificações circundantes. É, várias vezes, utilizada para exposições.

Basílica dos Congregados A Basílica dos Congregados, considerada por Eduardo Pires de Oliveira «uma das obras-primas da arte bracarense e portuguesa», faz parte do antigo convento dos Oratorianos, que vieram para Braga nos inícios de 1686 por iniciativa do Cónego João de Meira Carrilho. O mesmo autor considera a fachada «uma das mais extraordinárias e emocionantes obras do barroco português». A outra parte (antiga casa da Residência dos Oratorianos) é pertença do Estado e está, hoje, ocupada pelo Instituto de Estudos da Criança (IEC), da Universidade do Minho.

Museu da Imagem Aberto em abril de 1999, ocupa uma das torres da antiga muralha medieval e surgiu com o objetivo de preservar uma memória visual Braga, através da evolução fotográfica e da própria cidade. Aqui, o visitante, pode deleitar-se na consulta da base de dados das imagens provenientes do Arquivo Aliança e outros, desde os primórdios do séc. XX até à atualidade. Paralelamente, decorrem exposições temporárias, visitas guiadas e oficinas de trabalho.

Praça do Município É uma das praças mais visitadas e apreciadas da cidade. A “Praça do Barroco”, como também é conhecida, devido aos dois edifícios icónicos que ali se localizam, o edifício da Câmara Municipal e a fachada da Biblioteca da Universidade do Minho, construídos pelo traço do arquiteto André Soares. Este espaço remonta ao século XVI. No centro, não ficamos indiferentes à também barroca Fonte do Pelicano, aos pequenos jardins e majestosas árvores que dão à praça, a sombra necessária para momentos tranquilizantes.

Novo Mercado Municipal “Praça” Recentemente requalificado, o novo mercado municipal revela uma transição pacífica entre o passado e o futuro e ganha agora uma nova alma, adequada à vida moderna, com vantagens para toda a população e para todos os seus comerciantes. Um espaço dinâmico, atrativo e acolhedor onde pode apreciar uma refeição e adquirir pão, carne, peixe, charcutaria, legumes, frutas, entre muitos outros produtos e serviços. A “Praça” confere a Braga uma nova centralidade que consta no roteiro turístico.

Casa dos Crivos Edifício civil com características arquitetónicas que, constituíam a marca fundamental da área urbana central de Braga nos séculos XVII e XVIII. Hoje em dia, acolhe exposições de arte plásticas de caráter temporário. Conta ainda com um pequeno auditório onde decorrem pontualmente apresentações de livros, entregas de prémios, reuniões, entre outras atividades/eventos.

gnration Resultante da Braga 2012 – Capital Europeia da Juventude, o gnration é um espaço de criação, performance e exposição no domínio da música contemporânea e da relação entre arte e tecnologia. Afirma-se como polo aglutinador de dinâmicas culturais e criativas, assumindo-se como um espaço orientado para a sensibilização e formação de novos públicos, expondo-os a práticas artísticas relevantes à luz de uma perspetiva contemporânea e cosmopolita.

Termas Romanas do Alto da Cividade Braga Na colina do Alto da Cividade, no interior de uma ampla área arqueológica protegida, situam-se as únicas termas públicas romanas, conhecidas em Braga, classificadas como Monumento Nacional desde 1986. Ali, descobriu-se um teatro romano anexo, um monumento de grande valor patrimonial.

Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa O Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa é uma referência de visita obrigatória. Preserva, documenta, valoriza e divulga a história da ocupação humana do território do Noroeste português desde a Pré-História até à Idade Média, em particular da ocupação romana e da cidade de Bracara Augusta.

Parque da Ponte Quando se fala em espaços verdes, é um dos locais prediletos na cidade de Braga. Espaço densamente arborizado, com jardins e diferentes espécies de árvores, lago, coreto, cruzeiro, um auditório ao ar livre ou parques infantis, é perfeito para passeios em família. Na parte exterior, localiza-se a Capela de São João. Esta zona é, hoje em dia, palco dos arraiais sanjoaninos. No interior do parque funciona uma videoteca e um restaurante/bar. Ali, bem próximo, na parte superior, encontramos o Estádio 1.º de Maio e as piscinas da Ponte.

Monte do Picoto O Monte Picoto é uma área florestal central e de grande dimensão aos pés da cidade de Braga, ocupando uma posição de excecional interesse paisagístico. Conta com equipamentos de natureza lúdica, desportiva e social, e no ponto mais alto, existe um mirante, onde pode contemplar toda a cidade. No Monte do Picoto existe um parque aventura, com várias atividades. arbokids, bumperball, canyoning, circuito aventura, ecofun, escalada, arborismo, hoverboard, insufláveis, paintball, slide, minigolfe, BTT, tiro ao alvo, quick jump, entre outras atividades.

Núcleo Museológico de S. Martinho de Dume O Núcleo Museológico de Dume é composto pelo edifício que alberga o Túmulo de São Martinho de Dume e pelas Ruínas Arqueológicas, nomeadamente da basílica e mosteiro Suevo e balneário Romano, classificadas como Monumento Nacional. O Sítio Arqueológico de Dume e o seu território são «um dos mais completos testemunhos da matriz de povoamento que caraterizou a periferia urbana bracarense até finais do século XIX e cuja origem remonta à época romana».

Mosteiro de S. Martinho de Tibães Classificado como Imóvel de Interesse Público, em 1944, o Mosteiro de São Martinho de Tibães situa-se na freguesia de Mire de Tibães, Braga. O Mosteiro é constituído pela igreja, alas conventuais e espaço exterior – a cerca. Este projeto visa integrar vivências, paisagens e arquiteturas. Pretende fomentar a utilização do espaço em si com os espaços reafectados articulando o percurso «exterior» com o percurso «interior», tudo isto num quadro de um museu «aberto» onde a perceção da sedimentação temporal se poderá testemunhar e interpretar.

Estádio 1.º de Maio Construído junto ao Parque da Ponte, com lotação para 30 mil espetadores, destaca-se pela sua imponência oval, integrando um campo relvado de futebol, uma pista de atletismo, uma tribuna presidencial ao centro de uma das bancadas. Destaque para a fachada central que contempla uma ampla escadaria central com aberturas que ladeiam uma torre prismática. O estádio é um dos raros exemplos de arquitetura desportiva do Estado Novo.

Estádio Municipal de Braga Inaugurado a 30 de dezembro de 2003, é uma das obras mais icónicas e arrojadas da arquitetura e engenharia ligadas ao desporto. Elogiada um pouco por todo o mundo, esteve a cargo do arquiteto Eduardo Souto Moura, e foi construído para o Euro 2004. É também conhecido pela “Pedreira”, devido à sua localização, numa encosta rochosa, num dos topos da empreitada. O estádio é composto por duas bancadas (Poente e Nascente). A cobertura do estádio, é inspirada nas pontes construídas pela civilização Inca, no Peru, e encontra-se ligada por cabos de aço que distam entre si 3,75 metros.

Parque da Rodovia Renovado e atrativo, é ideal para a prática de atividades desportivas. Para isso, conta com vários campos de relva sintética e terra batida, dois campos de basquetebol, circuito de manutenção e parque infantil. Tem-se assumido como um dos locais de eleição dos bracarenses para atividades de lazer, caminhadas e momentos de descanso em família.

Sete Fontes Neste local, sobressaem as condutas de água do século XVIII. Situado, no lugar do Areal de Cima, na freguesia de S. Victor, junto à Geira romana, aqui será o futuro Parque da Cidade e contará com trinta hectares de parque verde público, 30 hectares de área florestal privada e 30 hectares de área urbana com a criação de praças, edificações e vias de circulação.

Quinta Pedagógica A Quinta Pedagógica de Braga estende-se por 2.5 hectares, sendo uma antiga quinta tradicional minhota, recuperada e adaptada para complementar e apoiar Atividades Educativo-Pedagógicas das crianças do Pré-Escolar e 1º Ciclo de Ensino Básico. Dá a conhecer aos mais novos os aspetos da vida rural minhota, as tradições, os usos e costumes da nossa região, sensibilizando-os também para as questões ambientais e da natureza.

Igrejas Braga tem um enorme património religioso, com inúmeras igrejas que merecem a sua melhor atenção. Por alguma razão, é conhecida pela Roma portuguesa ou Cidade dos Arcebispos. Para além das já mencionadas anteriormente, visite e conheça a Igreja da Misericórdia, a Igreja do Carmo, a Igreja e Convento do Pópulo, a Igreja dos Terceiros, a Igreja de Santa Cruz ou a Igreja S. Marcos.

Praias Fluviais A beleza natural das praias fluviais e a sua envolvência verdejante são também um cartão de visita de Braga. Neste leque, destacamos a Praia Fluvial de Merelim S. Paio, a Área de Lazer da Ponte do Bico, a Praia Fluvial de Navarra, a Praia Fluvial de Cavadinho em Crespos e a Praia Fluvial de Adaúfe. Todas elas apresentam excelentes condições de lazer para momentos divertidos e tranquilos. Não esquecendo as lagoas e cascatas do Gerês.

Trilhos Pedestres Em Braga, entre vales, serras, planícies e campos verdejantes, existem trilhos para todo o tipo de caminhantes, com diferentes níveis de dificuldade, distâncias e pontos de interesse que merecem ser descobertos e percorridos. Verdadeiros desafios à aventura e à descoberta, no seio da natureza.

Miradouros Gosta de apreciar paisagens bem lá do alto? Braga conta com vários miradouros, capazes de lhe proporcionar vistas deslumbrantes. Bom Jesus, Sameiro, Santa Marta das Cortiças, Picoto, Sagrado Coração de Jesus e Capela de Nossa Senhora de Guadalupe, são alguns locais que permitem registar momentos imperdíveis.

Como vê, Braga é rica em história e património. Ao longo do seu território, há muitos pontos de interesse para conhecer. No bloco de visitas, não se esqueça de registar ainda, entre outros locais, o Balneário Pré-Romano de Bracara, a Livraria Centésima Página, a Estação de caminhos-de-ferro, a Torre de Santiago, a Capela de Nossa Senhora da Conceição ou a Casa dos Coimbras. Desejamos-lhe uma boa estadia e profícua viagem!

 

 

Deixar comentário