Ler

Antoine de Saint-Exupéry

Antoine de Saint-Exupéry nasceu no seio de uma família aristocrática em Lyon, França, a 29 de junho de 1900. O pai de Antoine faleceu bastante novo e a mãe mudou-se com os cinco filhos para um “chalet” de um parente. Saint-Exupéry desfrutou de uma vida bastante privilegiada e, em 1912, a sua primeira viagem de avião, que teria em si um impacto permanente.

Depois de a sua educação inicial passar por escolas católicas na França, Saint-Exupéry foi enviado para um internato na Suíça após o início da Primeira Guerra Mundial. Regressou a França em 1917 e tentou entrar na Academia Naval. Não passou no exame e acabou por estudar arquitetura na Escola de Belas Artes. Em 1921, durante o serviço obrigatório nas Forças Armadas, Saint-Exupéry teve a oportunidade de realizar o seu sonho e voar: tornou-se piloto da Força Aérea no ano seguinte, com base no norte de África.

A paixão pela escrita surgiria pouco tempo depois, quando começou a escrever histórias inspiradas nas suas experiências como piloto. O seu primeiro trabalho, “O Aviador”, foi publicado em 1926. A aviação continuou a proporcionar-lhe experiências incríveis, mas também assustadoras, como foi o caso de um acidente que levou a que Antoine vagueasse pelo deserto durante dias.

Em 1943 publicaria “O Principezinho”, uma obra conhecida por todo o mundo e traduzida para mais de duzentos idiomas. Em julho de 1944 deixou a Córsega numa missão de reconhecimento e nunca mais foi visto. A sua morte esteve envolta em mistério até ao ano 2000, quando um mergulhador encontrou os destroços da sua aeronave perto de Marselha.

 

Aconselhamos a leitura




Terra dos Homens

Em 1935, Antoine de Saint-Exupéry tentou bater o recorde de velocidade entre Paris e Saigon. O seu avião caiu no Saara e Antoine e o seu co-piloto andaram pelo deserto durante vários dias, quase morrendo devido à exposição solar e desidratação. As memórias destes dias traduzem-se neste livro (em inglês com o nome “Wind, Sand and Stars”), publicado em 1939. A obra mereceu vários prémios, entre eles o National Book Award, o mais prestigiado da época.

Páginas: 160


 

 

 

Deixar comentário